Cirurgia de Redução de Estômago pelo SUS, quem tem direito

Cuidar da alimentação e praticar atividades físicas regularmente contribuem diretamente para a saúde do corpo, inclusive com a forma física.

Porém, existem situações que só esses cuidados não resolvem o problema, pois muita gente são propensos a ganhar peso naturalmente e isso, aliado ao estresse emocional e outros fatores não só facilitam o ganho de peso, mas também a obesidade.

Como se não bastasse ser obeso, ainda existem os riscos da obesidade mórbida que geralmente é causada pela combinação de fatores como:

  • Consumo exagerado de alimentos ricos em calorias com alto teor de gordura e/ou açúcar,
  • Falta de atividades físicas regulares,
  • Distúrbios emocionais que favorecem o anseio pelos alimentos,
  • Alterações hormonais,
  • Hereditariedade.

Mas ainda bem que em nossos dias, já é possível fazer a cirurgia de redução de estômago pelo SUS e é sobre isso que vamos tecer alguns comentários.

O que é a Bariátrica

Cirurgia Bariátrica é o tipo de cirurgia que é feito para reduzir o tamanho do estômago para facilitar a perda de peso. Muitas pessoas, mesmo com a prática de atividades físicas regulares e a alimentação saudável, não conseguem reduzir o peso corporal a níveis saudáveis, e por isso, precisam se submeter a essa cirurgia.

Esse tipo de cirurgia é recomendada para pessoas com IMC superior a 40, mas também podem ser recomendadas para pessoas com IMC mais baixos, desde que a obesidade ofereça riscos de vida ao indivíduo.

Consulta e Avaliação médica

Considera-se a cirurgia de redução do estômago pelo SUS, ou mesmo em consultório particular como o último recurso para quem está lutando para perder peso. Mas engana-se quem acredita que basta fazer a cirurgia para que tudo se resolva, pois depois dela, é preciso fazer uma reeducação alimentar para que o problema não se torne ainda mais complicado para o paciente.

Para que a cirurgia seja considerada necessária, o paciente não pode ter tido êxito a nenhum tratamento clínico administrado e, além disso, quando o paciente clínico não foi feliz também com os hábitos de viver saudáveis que deverá ter experimentado por um bom período de tempo.

Resumindo, se o paciente procurou seguir todas as recomendações médicas, inclusive com o uso dos alimentos saudáveis por um período de no mínimo 2 anos sem ter alcançado os resultados, ele se torna um candidato para essa cirurgia.

Como já adiantamos acima, a cirurgia só é recomendada como uma última solução quando então o paciente precisará ser avaliado pelo médico e preparado para a cirurgia.

Depois que a cirurgia é indicada, o paciente é preparado por especialistas médicos, psicólogos e nutricionistas quando se faz uma avaliação criteriosa para saber das possibilidades para que essa cirurgia aconteça com sucesso.

Como é a cirurgia Bariátrica

Existem maneiras diferentes para a realização da cirurgia Bariátrica, porém, para quem desejar fazê-la gratuitamente através do SUS, apenas 2 tipos são oferecidos, são eles:

  • Cirurgia aberta – esse tipo de cirurgia bariátrica é utilizado na maioria das situações em que ela é necessária. Para isso, o paciente recebe anestesia geral para que parte do estômago seja grampeado e conectado ao intestino.

Esse tipo de cirurgia tem um tempo de duração de aproximadamente 2 horas.

  • Cirurgia Bariátrica por Videolaparoscopia – esse tipo de cirurgia é menos evasiva do que a cirurgia tradicional Aberta. Nesse caso, ela é feita através de uma câmara de vídeo e as cânulas (videolaparoscopia) e tem um tempo de duração bem menor do que a forma tradicional, aproximadamente 1 hora apenas.

Alguns requisitos para a cirurgia pelo SUS:

  • Ser maior de 16 anos,
  • Quando não existe outra solução para a perda de peso,
  • Quando o paciente corre algum risco de vida que necessite de uma cirurgia urgente.

Mesmo que o paciente atenda a esses requisitos, para fazer a cirurgia pelo SUS ele precisará entrar em uma fila de espera, o que poderá levar meses para que a cirurgia aconteça.

Tempo de Recuperação

Nos primeiros 30 dias após a cirurgia, é muito normal o paciente sentir as dores na região abdominal, como também as náuseas, vômitos e diarreia, especialmente logo após as refeições.

Mas para aliviar os transtornos com esses sintomas é importante que o paciente siga as recomendações do médico principalmente no que diz respeito aos alimentos a serem ingeridos e às possíveis atividades físicas que procurará realizar.

O tempo de recuperação pode variar entre 6 meses e 12 meses, mas para isso, precisamos levar em conta o tipo de cirurgia feita e também os cuidados tomados pelo paciente durante esse período de recuperação.

Como é o Emagrecimento

Após a cirurgia do estômago, o paciente pode perder até 40% do seu peso inicial durante o período de recuperação, porém é preciso levar em conta os cuidados que ele vai ter nesse período.

Na verdade, a perda de peso é gradativa, sendo que no primeiro mês essa perda é maior e depois na medida que o tempo passa, a proporção vai diminuindo.

Riscos da Cirurgia

Os riscos de complicações com a cirurgia de redução de estômago pelo SUS ou mesmo em clínicas particulares, podem ser associados a algumas enfermidades relacionadas a obesidade. Entre esses riscos podemos destacar:

  • Embolia pulmonar (entupimento de vasos sanguíneos no pulmão) que causa muita dor e dificuldades para respirar,
  • Fístulas (pequenas bolsas que se formam nos pontos internos da região onde foi feita a cirurgia,
  • Hemorragia interna no local da cirurgia,
  • Vômitos, diarreia e fezes com sangue,

Dependendo da gravidade desses sintomas, pode ser necessário uma nova intervenção cirúrgica para corrigir o problema.

Leia também:
Cirurgia de Desvio de Septo Como é feita, pontos importantes

Como é Cirurgia de Adenoide particular e pelo Sus, Como Conseguir

Antiinflamatório para Joanete Inflamado, Tratamento

Chá de Carqueja Para que Serve, como Tomar

Remédio Glifage para Diabetes tipo 1 e 2, Bulas, Informações