Prolactina Alta, Tudo o que é Necessário saber para Cuidar

O sonho de muitas mulheres é um dia chegar a ser mãe, mas infelizmente, nem sempre é tão simples assim para que haja a concepção, pois existem algumas situações que contribuem para a não ovulação.

Seja a infertilidade no homem, seja alguma complicação por conta de uma doença ou ainda devido a alguma condição com alteração hormonal existente na mulher como é o caso da Prolactina Alta da qual vamos tecer alguns comentários.

O que é Prolactina

Prolactina é um hormônio presente no organismo da mulher que é muito necessário para a produção do leite materno. Esse hormônio é produzido pela Glândula Hipófise que está localizada no interior da caixa craniana.

Quando se encontra com níveis elevados, a Prolactina pode ser um sintoma bem característico da gravidez, mas existem casos em que esse aumento é motivado por algum tipo de medicamento.

Para que serve o Hormônio

A Prolactina é conhecida como o Hormônio do leite, mas também é responsável pelo desenvolvimento das mamas.

Fora período de gestação a Prolactina também influencia no controle de outros hormônios femininos e com isso, também contribui para regular o período menstrual e também a ovulação.

Exame e Níveis Normais

Para se descobrir os níveis de Prolactina no sangue, é feito um exame de sangue normal, mas para isso, o paciente deverá fazer um jejum de pelo menos 8 horas. Além disso, antes da coleta do sangue para o Exame de Prolactina, o paciente precisará de um repouso mínimo de 30 minutos para que haja uma estabilização do hormônio no corpo.

Comumente os valores de referência são de 13 ng/ml para as mulheres e 5 ng/ml para os homens. Em muitos laboratórios o limite superior do normal é de 15 a 25 ng/ml, acima desses valores, considera-se os níveis altos desse hormônio.

A partir daí, sabendo-se então que os níveis se encontram acima do normal, será preciso novos exames para descobrir o porquê dessa anormalidade e então buscar pelo tratamento apropriado.

Sintomas Apresentados

Entre os sintomas que acusam a Prolactina Alta na mulher podemos destacar:

  • Atraso na menstruação ou então a ausência dela por um período maior do que 35 dias em cada ciclo,
  • Produção de leite materno, mesmo fora do período de gravidez ou lactação,
  • Diminuição na libido,
  • Dores de cabeça,
  • Alterações na visão,
  • Infertilidade, diagnóstico registrado depois de muitos meses de tentativa para engravidar,
  • Condições para quadros de Osteoporose com a diminuição até 25% de massa óssea na coluna.

Não Consigo Engravidar

Pelo que se sabe, a Prolactina em níveis elevados compromete a ovulação. Isso acontece porque o fato de existir uma alta concentração desse hormônio na mulher, indica que ela ainda está amamentando,  e isso, diminui bastante as chances de gravidez.

Normalmente, isso seria muito natural, pois uma mulher que esteja amamentando dispende de muita energia e nutrientes para alimentar o bebê e por isso, o organismo não aceita uma nova gravidez lembrando que o conselho médico para o bem da criança é o aleitamento até aos 2 anos de vida.

Existe também a situação em que mesmo fora do período de lactação a prolactina se encontra alta e, nesse caso pode ser a influência de algum medicamento como, por exemplo, alguns tipos de contraceptivos usados pela mulher no decorrer dos anos.

Dessa forma, deve-se buscar por um bom tratamento para normalizar os níveis desse hormônio e então buscar por uma gravidez sem riscos.

Medicação para Normalizar

Quando os níveis de Prolactina se encontram mais elevados, a necessidade de baixar esses níveis usando algum tipo de medicamento só será recomendado se essa anormalidade esteja causando algum dano para a saúde da paciente.

Entre as necessidades de baixar a Prolactina pode estar a gravidez que não acontece por conta dessa anormalidade para esse hormônio que causa a infertilidade.

Devemos lembrar que alguns casais ainda conseguem bons resultados com a concepção mesmo com valores de 50 a 60 ng/ml, mas as vezes, pode ser necessário baixar ainda mais esses níveis e nesse caso, somente com o uso de alguns medicamentos.

Entre os medicamentos recomendados pelos médicos podemos destacar:

Parlodel

Parlodel é um medicamento muito recomendado para Prolactina Alta, mas também pode ser usado para outros tratamentos.

Substância ativa nesse medicamento

  • Comprimido sulcado – cada comprimido sulcado de Parlodel contém 2,5 mg de Bromocriptina Base,
  • Cápsula SRO – cada cápsula contém 2,5 mg ou 5,0 mg de Bromocriptina Base.

Como usar esse medicamento – O princípio básico da terapia com Parlodel (bromocriptina), é iniciar o tratamento com doses baixas e, em doses individuais, aumentar lentamente a dose diária até uma resposta terapêutica máxima a ser alcançada.

Em geral, a dose inicial é de 1,25 mg a 2,5 mg ao dia com doses adicionais de 2,5 mg administradas a cada 3 a 7 dias, ou de acordo com a recomendação médica.

Dostinex

Dostinex  é mais um medicamento bastante recomendado pelos médicos quando se trata de inibir a produção de Prolactina no organismo. Esse medicamento oferece a mesma ação da Dopamina que haje na Hipófise impedindo a produção de Prolactina.

Substância ativa nesse medicamento – cada comprimido de Dostinex contém 0,5 mg de Cabergolina.

Como usar esse medicamento – em geral a dose recomendada é de 1 mg de Dostinex por semana, mas pode variar de 0,25 mg a 2 mg por semana. Em casos mais complicados pode ainda ser autorizada pelo médico uma dosagem equivalente a 4,5 mg por semana.

 

 

 

Leia também:
Candidíase na Gravidez Qual a pomada Recomendada

Remédio pomada para Candidíase Mamária ( nos seios ) da Amamentação

Remédio para Engravidar Nomes e o Tratamento

6 principais Sintomas de Gravidez que Confirmam gestação

Remédio Bromoprida para Problemas de Estômago