Diabetes Mellitus muita Informação sobre os Tipos 1 e 2

Uma doença que está presente na vida de milhões de pessoas, a Diabetes Mellitus ou simplesmente Diabetes, é uma doença que não escolhe suas vítimas e quando não é tratada, certamente vai levar o indivíduo a morte.

O que é

A Diabetes é uma doença cuja característica é a elevação nos níveis de glicose no sangue o que denominamos de Hiperglicemia. Essa doença pode acontecer por conta de disfunções na secreção ou na ação da Insulina, um hormônio produzido no Pâncreas.

Diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta

Sintomas Apresentados

Os sintomas mais comuns que podem caracterizar a Diabetes são:

  • Aumento na sede,
  • Boca constantemente seca,
  • Vontade frequente de urinar,
  • Cansaço frequente, mesmo sem um motivo justo,
  • Turbidez na visão ou visão embaçada,
  • Dificuldades para cicatrizar os ferimentos,
  • Formigamento nos pés ou mãos,
  • Frequência na presença de infecções, tais como as Infecções Urinárias ou Candidíase.

Níveis Glicêmicos
Os valores considerados normais da Glicemia do Jejum ficam entre 70 e 99 mg/dl. Estar com os níveis de glicemia um pouco acima disso, não quer dizer necessariamente que a glicemia esteja alterada, mas pode ser um aviso de que a secreção de insulina apresenta alguma anormalidade.
Nesse caso, é importante que o médico solicite um exame de Curva de Glicemia que vai definir se o paciente apresenta alguma intolerância a Glicose ou se apenas se trata de uma alteração normal.
Uma pessoa pode ser considerada pré-diabética quando os valores de sua Glicemia em Jejum variam de 100 e 125 mg/dl. Mas se esses valores atingem de 126 mg/dl para mais, considera-se que o indivíduo é diabético.

Para chegar aos resultados, o médico vai recomendar o Exame de Glicemia de Jejum que é feito após um jejum de 8 a 12 horas. Para esse jejum, o indivíduo não pode ingerir nenhum alimento ou bebida, somente água.

Pré Diabetes

Pré Diabetes é um termo que aponta o tempo em que o indivíduo está prestes a se tornar um diabético do tipo 2. Para isso,  quando é feito um teste de Diabetes, o exame vai acusar um nível mais elevado de glicose no sangue, variação de 100 mg/dl a 125 mg/dl, que apesar de não estar entre os níveis normais, ainda não se caracteriza como Diabetes.

Esse termo é usado para indicar que o indivíduo tem grandes chances para se tornar um Diabético do tipo 2, pois se trata de uma situação intermediária entre uma vida saudável e a doença.

Diabetes Tipo 1

Diabetes do Tipo 1 é caracterizada pela deficiência do Pâncreas de produzir pouco ou nenhuma Insulina. Com isso, o organismo não é capaz de utilizar o açúcar no sangue para a produção de energia.

Ao contrário da Diabetes do tipo 2 a Diabetes do tipo 1 é um problema genético e por conta disso, um indivíduo já pode vir ao mundo com a doença que é diagnosticada durante a infância ou adolescência.

Esse tipo de Diabetes não tem cura, mas pode ser controlada com injeção de Insulina que devem ser aplicadas diariamente sob a supervisão de um médico endocrinologista.

Além disso, as mudanças nos hábitos alimentares e também nos hábitos de vida em geral, são importantes para que essa doença possa se manter sob controle.

Diabetes Tipo 2

A Diabetes Mellitus Tipo 2 é uma doença crônica que afeta a maneira como o corpo metaboliza a Glicose. Uma pessoa com Diabetes do Tipo 2 pode ter uma resistência a Insulina que é o hormônio responsável por controlar a entrada de açúcar nas células.

Além disso, pode acontecer de que esse hormônio não esteja sendo produzido pelo Pâncreas em quantidade suficiente para manter os níveis de açúcar na sua normalidade e, nesse caso, a falta de um tratamento adequado pode levar o paciente a morte.

Diabetes Gestacional

Caracteriza-se por Diabetes Gestacional o aumento da resistência à ação da Insulina durante o período da gestação, o que leva ao aumento nos níveis de glicose no sangue que é diagnosticado pela primeira vez durante a gestação. Porém, isso não significa que esses níveis elevados da glicose irão persistir depois de ocorrer o parto.

Ainda não existe nenhuma informação concreta sobre as causas da Diabete Gestacional, mas de qualquer forma, tem muito a ver com essa resistência à Insulina.

A Diabetes Gestacional costuma desaparecer após o período de gravidez, mas a mulher ficará sujeita a desenvolver a Diabetes do Tipo 2, por isso, é importante, nesse caso, manter um acompanhamento médico mais constante.

Sintomas da Diabete Gestacional

Geralmente a Diabetes Gestacional não costuma apresentar sintomas. Por isso, é importante que a mulher faça exames periódicos durante toda a gestação principalmente entre 6 e 7 meses de gestação.

É importante ter consciência de que a elevação da glicose no sangue traz prejuízos à saúde da mulher e principalmente para o bebê.

Quando os sintomas de Diabetes Gestacional acontecem são:

  • Aumento da sede,
  • Aumento na micção,
  • Aumento do apetite,
  • Visão turva.

Esses também são sintomas da Diabetes tipo 1 e 2. Porém, esses sintomas podem aparecer apenas pelo fato de existir a gravidez, não significando que a gestante seja portadora da doença.

Por isso, se a gestante apresentar algum desses sintomas, para evitar maiores complicações, melhor é avisar o médico e não esquecer dos exames pré-natais.

Quando Usar Insulina

A Insulina de forma alguma deve ser usada sem a devida prescrição de um médico responsável. Além disso, não é porque o paciente comeu um pouco mais de doces que poderá exigir do médico que seja administrado um tratamento com a Insulina.

O uso sem necessidade desse hormônio sintético pode causar efeitos bem desagradáveis, tais como: Tremores, Visão embaçada, tonturas e confusão mental que são sintomas de uma Hipoglicemia, ou seja, baixos níveis de glicose no sangue.

O médico poderá sugerir o início do tratamento com Insulina quando a glicemia em jejum for superior a 300 mg/dl. Durante a diabete gestacional para controlar a glicemia com maior segurança para a gestante e o bebê ou ainda se o paciente diabético perder muito peso em um curto espaço de tempo.

O tratamento com Insulina pode ser iniciada sempre que o controle da glicemia com outros métodos não tenha dado resultados. Ou seja, se a reforma nos hábitos de vida e o uso da Metformina com ou sem a associação com sulfonilureia não tenham sido o suficiente para controlar a glicemia.

Como usar a Insulina

  • Geralmente a recomendação médica é que o início do tratamento seja com Insulina Intermediaria à noite ou Insulina de longa ação pela manhã ou à noite. Nesse caso, pode-se iniciar com 10 UI/kg de peso.
  • Deve-se fazer a verificação glicêmica capilar em jejum diariamente e aumentar a dose e 2 UI a cada 3 dias até atingir o alvo de 70 a 130 mg/dl.
  • Em algumas situações pode ainda haver um aumento na dosagem de Insulina, 4 UI a cada 3 dias se acaso a Insulina ainda se manter elevada no sangue, acima de 180 mg/dl.
  • Se acaso houver Hipoglicemia ou Glicemia de Jejum abaixo de 70 mg/dl, a dose de Insulina durante a noite deve ser reduzida em 10%.

Chá para diabetes Alta

Na natureza podemos encontrar uma grande variedade de medicamentos que podem contribuir com os diversos males do corpo, inclusive para baixar os níveis de glicose no sangue. Por isso, vamos agora apresentar duas receitas de chá com ervas naturais que são excelentes para auxiliar no tratamento para a Diabetes Mellitus:

Chá de Carqueja – providencie 2 colheres (sopa) de flores da Carqueja bem picadas para 500 ml de água.

Como preparar o chá – leve os ingredientes ao fogo e deixe ferver. Assim que levantar a fervura, aguarde mais 3 minutos e retire do fogo deixando agir por mais 5 minutos em recipiente fechado.

Depois disso, é só coar e começar a beber. Faça uso do chá ingerindo no máximo 3 xícaras por dia, não mais que isso.

Chá de Pata-de-Vaca – a folha de Pata-de-Vaca contém propriedades Hipoglicêmicas por isso, é bastante recomendada para ajudar nos tratamentos para baixar a glicose no sangue.

Providencie 2 folhas frescas da erva para 1 litro de água.

Como fazer esse chá – coloque a água para ferver e assim que levantar fervura, retire do fogo e acrescente as folhas da erva para deixar agir por infusão por aproximadamente 15 minutos.

Passado esse tempo, retire as folhas da erva e comece o tratamento. Esse chá pode ser ingerido durante o dia intercalando com a água pura.

Remédio Metformina

Cloridrato de Metformina é um medicamento com ação antidiabética de uso oral que combinado com uma dieta alimentar adequada mais a melhora na qualidade de vida pode combater os efeitos causados pela Diabete tipo 2 reduzindo os níveis de glicose no sangue.

Além disso, esse medicamento pode ser usado em tratamentos para a Diabete do tipo 1 como complemento à Insulinoterapia.

Substância ativa nesse medicamento – cada comprimido revestido contém 500 mg ou 850 mg ou ainda 1,0 grama de Cloridrato de Metformina.

Como usar esse medicamento – esse medicamento deve ser usado conforme a recomendação médica, pois antes de administrar um tratamento, é necessário que se faça uma analise do quadro clínico do paciente.

Efeitos adversos desse medicamento – esse medicamento pode apresentar alguns efeitos adversos, especialmente quando ingerido em separado das refeições. Além disso, geralmente esses efeitos são passageiros e acontecem mais no início do tratamento.

Pode ocorrer: Náuseas, Vômitos e Diarreia que no decorrer do tratamento podem desaparecer.

Contra-indicações desse medicamento – esse medicamento é contra-indicado nas seguintes situações:

  • Para mulheres no período de gravidez,
  • Para mulheres no período de gestação,
  • Para pessoas usuárias de bebidas alcoólicas,
  • Para pessoas com complicações renais,
  • Para pessoas com complicações hepáticas,
  • Para pessoas com insuficiência cardíaca congestiva,
  • Para pessoas que já passaram por infarto do miocárdio,
  • Para pessoas com alterações ou complicações respiratórias,
  • Para pessoas sensíveis à fórmula desse medicamento.

Valor desse medicamento – a embalagem com 60 comprimidos revestidos de Metformina tem um valor aproximado de R$ 13,00 reais.

Alimentação e Atividade Física

Os melhores alimentos para os diabéticos são aqueles de origem vegetal, o mais integral possível, tais como:

  • Cereais integrais diversos,
  • Frutos,
  • Verduras diversas,
  • Castanhas,
  • Nozes,
  • entre outros.

Também podem ser usados os queijos magros, peixes, carne branca em pequena quantidade. Além disso, é importante ingerir muita água durante o dia combinando com os sucos naturais com o bagaço.

Alimentos impróprios:

  • Frutos em calda, mel, açúcar, marmelada, massas brancas, arroz branco,
  • Alimentos ricos em gordura saturada, em sal ou açúcar como é o caso dos alimentos vendidos em lanchonetes e confeitarias.
  • Refrigerantes, bebidas de álcool e outras bebidas açucaradas.
  • entre outros alimentos nocivos ao organismo que possam promover o aumento da glicose no sangue.

Mas além de todos esses cuidados é importante cultivar o hábito de praticar atividades físicas todos os dias, pelo menos 30 minutos diários.

Leia também:
Chá para Baixar a Glicose Diabetes Alta, indicações

Remédio Glifage para Diabetes tipo 1 e 2, Bulas, Informações

Prolactina Alta, Tudo o que é Necessário saber para Cuidar

Pomada e Colírio para Conjuntivite Veja como usar

Remédio para sinusite Como Tratar, Nomes